quarta-feira, 2 de julho de 2008

:: Não force nunca


Aqui deixo um conselho que lhe poderá servir para a sua filosofia:

- não force nunca

seja paciente pescador neste rio do existir.

Não force a arte, não force a vida, nem o amor, nem a morte.

Deixe que tudo suceda como um fruto maduro que se abre e lança no solo as sementes fecundas.

Que não haja em si, no anseio de viver, nenhum gesto que lhe perturbe a vida.


Agostinho da Silva

1 comentário:

Miguel disse...

Junto Palma, Jorge: «A dependência é uma besta, que dá cabo do desejo. E a liberdade é uma maluca, que sabe quanto vale um beijo».